BUSCAS RECENTES

OCEANO:
NOSSA MAIOR FONTE DE VIDA.

 

A vastidão dos mares fascina a humanidade há tempos imemoriais.

O oceano é a origem dos ciclos naturais do planeta. De suas profundezas vêm o alimento e alguns dos nutrientes fundamentais para a saúde.

Nem todos têm o privilégio de viver perto do mar, mas a tecnologia permite levar um pouco do mar para todos, com nutrientes fundamentais. para o seu corpo. (1, 2, 3).

Receba das fontes mais puras e profundas o elemento primordial para se criar saúde diariamente: Ômega 3.

Omegas

O QUE SÃO OS ÔMEGAS?

 

São gorduras saudáveis, do tipo insaturadas, formadas por ácidos graxos e classificadas como ômega 3, 6 e 9.

Dentre esses diversos tipos de ácidos graxos que formam os triglicerídeos, duas famílias são consideradas essenciais: a do ômega 3 e do ômega 6. Isso significa que o corpo não consegue produzi-los e precisa recebê-los através dos alimentos ou suplementos.

Quando presentes na dieta de forma equilibrada, ambos contribuem para a saúde. No entanto, devido ao uso massivo de óleos vegetais ultraprocessados no preparo de alimentos e de produtos industrializados diversos, é necessário aumentar o consumo de ômega 3 EPA e DHA para reequilibrar essa balança interna e preservar do funcionamento saudável do corpo.

ORIGEM E IMPORTÂNCIA
DO ÔMEGA 3 DHA E EPA.

 

Os tipos de ômega 3 mais benéficos para a saúde humana são o DHA e o EPA, encontrados em alimentos de origem animal, especialmente em peixes de água fria, moluscos, crustáceos e também na microalga Schizochytrium sp.

O DHA está presente nas membranas celulares, em mais de 90% dos ácidos graxos ômega 3 do cérebro e nos olhos. Já o EPA é fundamental para o equilíbrio e bom funcionamento do metabolismo (4, 5, 6, 7).

SELO MEG-3® DE QUALIDADE

 

Formulado com tecnologia avançada e matéria-prima de procedência rastreável, possui selo de qualidade MEG-3®, que reconhece o fornecimento sustentável de ômega 3 e a ausência de metais pesados, potenciais neurotóxicos e outras impurezas em sua composição

Omegas

UM GRANDE PROBLEMA:

POUCO ÔMEGA 3 E MUITO ÔMEGA 6

 

O que acontece é que, com o advento dos óleos vegetais industrializados, houve uma mudança acentuada na proporção de ácidos graxos ômega 6 para o ômega 3 na dieta, chegando a 20 partes de ômega 6 para uma de ômega 3.

As principais fontes de ômega 6 da atualidade são os óleos extraídos de sementes, como milho, soja, girassol e amendoim.

Por isso, um passo fundamental é diminuir o consumo desses óleos, geralmente presentes em alimentos fritos e ultraprocessados.

 

Ao mesmo tempo que se consome menos ômega 6,é essencial aumentar a ingestão de ômega 3. Corrigir essa equação é um passo decisivo para a saúde.

Infelizmente, a maioria das pessoas não ingere ômega 3 nas quantidades que o corpo precisa para prosperar. Estatísticas apontam que mais de 90% da população mundial não obtém as quantidades ideais deste nutriente.

É importante saber também que os dois tipos de ômega 3 que o corpo realmente requer e utiliza são o EPA e o DHA, encontrados com mais disponibilidade nos peixes selvagens, crustáceos e alguns tipos de algas.

Peixes selvagens obtêm seu ômega 3 de algas, diferente de peixes de cativeiro, que são alimentados com ração à base de milho, soja ou outros grãos que contêm pouco ou nenhum ômega 3. É por isso que a origem e a forma de preparo dos peixes desempenham um papel importante na determinação da proporção de ômega 3:6. O peixe que foi criado em cativeiro ou frito em óleo não nos fornecerá os mesmos benefícios que o peixe selvagem fresco, grelhado ou cozido no vapor.

ÔMEGA 3 DHA

 

Segundo estudo de Guesnet et al. publicado na revista Biochimie (2011), o DHA é naturalmente presente no cérebro e encontrado principalmente em partes que são responsáveis pelo processamento de informação, memórias e emoções. Essas áreas também são importantes para a atenção sustentada, planejamento e resolução de problemas, bem como para o desenvolvimento social, emocional e comportamental.(4, 5, 6 7)

Sem DHA, o cérebro não possui matéria-prima para se desenvolver e funcionar adequadamente.

ÔMEGA 3 EPA

 

Nas fontes alimentares, o EPA é sempre encontrado junto ao DHA, assim como na maioria dos suplementos de ômega 3.

Tanto o EPA quanto o DHA servem de matéria-prima para que o corpo fabrique moléculas como as chamadas “resolvinas”, que “resolvem” desequilíbrios no sistema.

Mas, segundo estudo de Swanson et al. (2012), o EPA consegue atuar com mais eficiência nesses mecanismos de controle, tão importantes para minimizar os efeitos nocivos dos maus hábitos comuns na atualidade, sejam eles alimentares, físicos ou de sono.(8)

PRINCIPAIS ALIMENTOS COM ÔMEGA 3

 

Caso opte pela facilidade dos suplementos, escolha um bom produto. Você pode identificá-los com ótimas concentrações de EPA e DHA de procedência rastreável, com selos de qualidade e sustentabilidade, preferencialmente o MEG-3.

QUAL O MELHOR HORÁRIO
PARA TOMAR OS SUPLEMENTOS DE ÔMEGA?

 

Um bom momento para se tomar ômega 3 é junto às principais refeições, como almoço e jantar. Por ser uma fonte de gordura, o ômega 3 pode ajudar a melhorar a absorção de vitaminas e minerais presentes nos alimentos.

A FAMÍLIA ÔMEGA PURAVIDA CRESCEU!

 

O Ômega 3 EPA DHA contém vitamina E que é um antioxidante que auxilia na proteção contra os radicais livres

O Ômega 3 Fosfatix contém elevada concentração de DHA associado a fosfatidilserina.

Os ácidos graxos EPA e DHA presentes no Ômega Pulse auxiliam na redução dos triglicerídeos e contém EPA associado a Coenzima Q10

O Ômega 3 Vegan DHA é 100% vegetal, composto apenas por algas e envasado em cápsulas veganas.

O Krill Oil é feito do crustáceo krill e oferece o mesmo ômega 3 EPA e DHA do óleo do peixe.

O Ômega DHA possui elevada concentração de ácido graxo DHA

CONHEÇA OS
BENEFÍCIOS DO ÔMEGA 3

 

ÔMEGAS PURAVIDA: CONHEÇA E COMPARE

 

A Puravida oferece diversas combinações de ômegas para você. Todas com altíssima qualidade, compostas apenas de ingredientes puros e sem qualquer elemento nocivo para sua saúde.

Não existe "pior ou melhor" nessa lista. Mas sim, diferentes usos para cada objetivo e, claro, diferente adaptabilidade para cada pessoa. Conheça, experimente e encontre a sua preferida.

  • EPA por dose (mg)
  • DHA por dose (mg)
  • Ômega3 (mg)
  • Matéria Prima
  • Certificados
  • Aroma de limão*
  • Funcionalidade
    • 660
    • 440
    • 1,100
    • Óleo de Peixe Livre de Poluentes + Vitamina E
    • Meg3
    • Sim
    • Fonte de ômega 3. Proteção dos danos causados pelos radicais livres.
    • 400
    • 1000
    • 1,400
    • Óleo de Peixe Livre de Poluentes + Fosfatidilserina
    • Meg3
    • Sim
    • Alta concentração de DHA, associado a fosfatidilserina.
    • 990
    • 660
    • 1,650
    • Óleo de Peixe Livre de Poluentes + Coenzima Q10
    • Meg3
    • Sim
    • Alta concentração de EPA, associado ao antioxidante Coq10. Auxilia na redução de triglicerídeos.
    • 400
    • 1000
    • 1,400
    • Óleo de Peixe Livre de Poluentes
    • Meg3
    • -
    • Alta concentração de DHA. Boa dose de EPA.
    • -
    • 430
    • 430
    • DHA obtido do óleo de algas
    • ..
    • -
    • 100% Vegetal.
    • 188
    • 121
    • 309
    • Óleo de Krill em fosfolipídios
    • ..
    • -
    • Antioxidante + Fonte de ômega 3.

*O aroma de limão ameniza o desconforto do retrogosto que algumas pessoas podem sentir ao consumir o óleo de peixe.
**O Ômega Vengan DHA e o Krill Oil não possuem certificação MEG-3, pois não são provenientes do óleo de peixe.

ESTUDOS E REFERÊNCiAS:

  • 1. Singh M. Essential fatty acids, DHA and human brain. Indian J Pediatr. 2005;72(3):239-242. (Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/15812120/)

  • 2.Guesnet P, Alessandri JM. Docosahexaenoic acid (DHA) and the developing central nervous system (CNS) - Implications for dietary recommendations. Biochimie. 2011;93(1):7-12. doi:10.1016/j.biochi.2010.05.005 (Disponível em:https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20478353/)

  • 3. Swanson D, Block R, Mousa SA. Omega-3 fatty acids EPA and DHA: health benefits throughout life. Adv Nutr. 2012;3(1):1-7. doi:10.3945/an.111.000893. (Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3262608/)

  • 4. Guesnet P, Alessandri JM. Docosahexaenoic acid (DHA) and the developing central nervous system (CNS) - Implications for dietary recommendations. Biochimie. 2011;93(1):7-12. doi:10.1016/j.biochi.2010.05.005

  • 5. Dyall SC. Long-chain omega-3 fatty acids and the brain: a review of the independent and shared effects of EPA, DPA and DHA. Front Aging Neurosci. 2015;7:52. Published 2015 Apr 21. doi:10.3389/fnagi.2015.00052 (Disponível em:https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10617974/)

  • 6. Brenna JT, Diau GY. The influence of dietary docosahexaenoic acid and arachidonic acid on central nervous system polyunsaturated fatty acid composition. Prostaglandins Leukot Essent Fatty Acids. 2007;77(5-6):247-250. doi:10.1016/j.plefa.2007.10.016 (Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/16812965/)

  • 7. Bradbury J. Docosahexaenoic acid (DHA): an ancient nutrient for the modern human brain. Nutrients. 2011;3(5):529-554. doi:10.3390/nu3050529

  • 8. Swanson D, Block R, Mousa SA. Omega-3 fatty acids EPA and DHA: health benefits throughout life. Adv Nutr. 2012;3(1):1-7. doi:10.3945/an.111.000893. (Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3262608/)
atendimento
fechar